English  French  Italian  Portuguese  Spanish
Programa Educativo Cultural do Parque tira nota 10 em pesquisa
18 de fevereiro de 2021

Programa Educativo Cultural do Parque tira nota 10 em pesquisa

Uma parte importantíssima do projeto do Parque Arqueológico e Ambiental de São João Marcos – que às vezes passa despercebida pelos visitantes – é o nosso Programa Educativo Cultural, ou seja, as visitas escolares. Uma pesquisa sobre qualidade, realizada com 11 professores e coordenadores de escolas estaduais e municipais que visitaram o Parque entre março de 2019 e março de 2020, revelou resultados muito positivos da iniciativa de promover atividades e ações de educação para alunos da rede pública do estado do Rio de Janeiro.

O Programa Educativo Cultural inclui gratuitamente transporte, alimentação e conteúdo pedagógico. As visitas visam a valorização da história de São João Marcos e da cidadania dos participantes e buscam alertar sobre o desperdício de água, energia e sobre os perigos e prejuízos que as ligações clandestinas trazem para toda a sociedade.

Foram entrevistados em profundidade nove professores e dois coordenadores de cinco escolas municipais e seis escolas estaduais de Barra Mansa, Nova Iguaçu, Quatis, Nilópolis, São João de Meriti, Duque de Caxias e Barra do Piraí. As informações foram coletadas pela consultoria de pesquisa de mercado Innovare.

Com o objetivo de conhecer melhor as percepções dos visitantes do Parque sobre a visita e compreender como avaliaram a experiência de levar um grupo de alunos ao Parque, também foram investigados aspectos relacionados ao aprendizado dos visitantes, especialmente com relação a temas de eficiência energética e consumo consciente.

Principais resultados

Todos os entrevistados fizeram uma ótima avaliação da visita. Alguns ressaltaram a beleza do local, a alegria dos alunos com o passeio, a viabilidade por conta do transporte gratuito (muito importante quando se pensa em escolas públicas), outros falaram da receptividade dos monitores, das atividades e da infraestrutura disponível para receber as escolas.

Todos que participaram da pesquisa recomendam o Parque a colegas educadores. Alguns deles afirmam ter retornado ao Parque para fazer a visita com seus familiares. Todos esperam novas oportunidades de retornar ao Parque com mais alunos. Há também os que souberam do Parque por recomendação de colegas. Como motivo para recomendarem a visita, os entrevistados mencionam, principalmente, a aderência das atrações do Parque ao currículo escolar, em diversos aspectos, e a oportunidade de oferecer cultura para os alunos.

Seus relatos mostram que eles encontram um lugar pensado para preservar viva a memória de uma cidade que ali existiu, que quer contar o porquê de ela não estar mais ali e, por meio desse relato, incutir nos seus visitantes a consciência de que o consumo dos recursos naturais tem consequências diversas.

De acordo com os respondentes, o Parque consegue ensinar na prática sobre produção, distribuição, consumo e economia de energia, despertando assim a consciência nos alunos de que é preciso pensar além do indivíduo, e considerar os impactos dos próprios atos nas outras pessoas.

Outra riqueza da visita ao Parque é o fato de despertar o interesse em disciplinas muito diversas, desde Ciências Sociais, História, Geografia, até Física e Matemática – todas essas áreas tendo atividades derivadas do que é visto e vivido ali.

VEJA TAMBÉM

SITE AMIGO DO SURDO